[EXPERIMENTO PARA UMA PRÓTESE DA PERCEPÇÃO]

Nesta instalação pretendeu-se explorar o tempo, a percepção e a poética da plástica visual resultante da ambiência criada entre a mistura da captação prévia da imagem digital subtilmente em movimento (vídeo) com formas verdadeiramente vivas e humanas (com recurso à aplicação vídeo em sistema operacional iOS7 entre outras interfaces) na projecção controlada de vídeo-mapeado sobre corpos inanimados – objectos 3D – manequins. Através de movimentos subtis de partes do corpo (braços e mãos) da figura humana de um adolescente vivo, convoca-se o visitante a parar definitivamente de modo a poder percepcionar o movimento dos elementos aparentemente mortos na composição. Uma reflexão sobre a condição humana.

Registo fotográfico: cortesia de José Crúzio

Esta instalação, também desenvolvida com vista a aplicações cenográficas, foi apresentada publicamente por Isabel Maria Dos no 1º andamento da 2ª edição de [PAISAGENS NEUROLÓGICAS – Arte, Ciência, Ética, Estética: Onde Estamos? Para onde vamos?] em 02 de maio, 2014, na Sala do Carvão, na Casa das Caldeiras, FLUC – Coimbra.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Registo fotográfico de Isabel Maria Dos

Advertisements